terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Eu não sabia (15#): Kate e Brad

Que o Brad Pitt e a Kate Hudson estão juntos.
E fico ainda mais admirada com os rumores que ela agora está grávida. Pois bem, eu sempre gostei muito da Kate e na verdade acho que até ficam bem juntos. Mas é um par que nunca tinha imaginado como par, nem a contracenar juntos num filme (que não sei se já fizeram ou não) mas muito menos na vida real. Mas ao que parece estão juntos e em relação à gravidez como se costuma dizer "onde há fumo há fogo".
Mas depois de um divórcio tão mediático esta notícia é outra bomba à qual ninguém consegue ficar indiferente. Eu não fiquei. Primeiro pensei que era mentira. Depois pensei que talvez tivesse algum fundamento. Agora não sei o que pensar lol
Vamos esperar o desenrolar da história.


segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Bebé e a tecnologia/tv

Cada vez mais leio opiniões de várias pessoas, com e sem bebés, sobre o uso de telemóveis ou outro equipamento para sossegar os mais pequenos. E sempre que termino de ler penso a mesma coisa.
Será que estas pessoas nunca ligaram o telemóvel com uma música que o bebé gosta para o acalmar?
Será que estas pessoas nunca puseram o bebé a ver tv para que ele comesse melhor a sopa/refeição sem ser aos soluços ou aos berros.
Será que estas pessoas nunca estiveram num restaurante a tentar comer o seu prato com o bebé ao lado aos prantos e profundamente desconsolado porque falar com ele só não o acalma?
Que sorte que estas pessoas têm.
Eu não tenho. Eu preciso de vez em quando recorrer a estas ajudas para conseguir que o meu bebé acalme e consiga comer. Eu prefiro que ele veja um pouco de tv do que não coma nada ou vomite o que comeu por estar sempre a chorar. Mas isso sou eu. Posso estar errada, mas prefiro mesmo.
Claro que não é uma fixação no telemóvel ou na tv. É por momentos e bastante rápido. Mas as pessoas que criticam, que dizem que é triste ver um bebé com um tablet, se calhar não pensam que isso está a acontecer naqueles 10 minutos para os pais poderem ter 5 minutos para comer. Comer a correr mas ainda assim comer.
Eu acho que ninguém deve críticar ninguém porque só quem está na situação sabe como deve lidar com ela.
E era isto.  

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Férias de Inverno

E aquelas pessoas fofinhas que vão de férias no Inverno?
E voltam com aquele ar fresco, moreno e saudável mesmo de quem esteve de férias. Pois é, elas andam aí :)
Eu nunca fiz férias no Inverno, não sei como será, mas tenho curiosidade. Gostava de sentir um quentinho no corpo em vez deste gelo que insiste em instalar-se :s
Pode ser que um dia seja o dia.
E vocês? Costumam fazer férias de Inverno? É bom como parece?


segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

A importância de nos lerem

Este título podia ter dois significados.
1- A importância de lerem aquilo que escrevemos, ou
2- A importância de nos saberem interpretar.

Mas esta reflexão (quase) filosófica é mesmo sobre a primeira hipótese.
Eu durante muito tempo, posso dizer anos, escrevi muitos textos que ninguém leu. Escrevi porque sim, porque precisava, por terapia, por desabafo, por muitos outros motivos que nos levam a pôr numa folha tudo o que sentimos. Mas a verdade é que foram raras as vezes em que alguém os leu. Já li algumas partes em voz alta para que me ouvissem. Mas só isso. O resto ficou guardado.
E um dia decidi iniciar este blog. Não para colocar aqui esses textos, ou desabafar aqui, mas principalmente para que me pudessem ler. Não que eu tenha algo interessante para dizer sobre todos os assuntos, ou que possa fazer a diferença para quem me lê, mas sim porque senti que o processo de escrever sem que alguém pudesse ler pareceu-me triste. É como um livro pousado que nunca foi lido. Sempre preferi muito mais ler um livro emprestado ou emprestar a alguém, para que esse livro pudesse ser lido por mais do que uma pessoa, do que ter nas mãos um livro completamente novo. Sempre pensei que empresta-lo depois de o ler o valorizava ainda mais. Dava outro vida àquelas páginas.
E com os textos, sejam mais profundos ou não, sobre assuntos pessoais ou um simples comentário sobre um determinado tema, acontece o mesmo, ou seja, acho que se são escritos devem ser lidos. Mesmo que não cause nenhum impacto. Devem ser lidos. É para isso que são escritos, é a sua finalidade, alguém deve ler. Ou poder ler. É isto...pelo menos ter a hipótese de ler.
Pela parte que me toca obrigada por me lerem :)

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Verniz Gel, Gel, Pó e todo um drama!

Pois é. Eu que sempre tive umas boas unhas (modéstia à parte por acaso até são jeitosas) achava que nunca ia sucumbir à tentação do gel, gelinho, verniz gel e todo esse mundo que tem tanto para oferecer.
Mas a verdade é que caí na tentação e lá coloquei o verniz gel. Mas a forma de fazer pode variar tanto, pelo que tenho vindo a perceber, que tenho imensas dúvidas se isto faz bem, se faz mal, se é indiferente para a unha. Se há uma técnica melhor. Se a broca é mesmo um problema. Se o bom é aquela nova em pó ou até essa não é grande coisa. Não sei.
Qual é a vossa opinião e experiência?
Há diferenças entre gel e verniz gel, há um melhor do que o outro ou é tudo a mesma coisa? Ou o melhor era não me meter nisso e deixar as unhas quietinhas que não estavam a pedir nada a ninguém? :D
Preciso de conselhos. Há todo um drama na minha cabeça em volta das unhas. E que todos os dramas sejam só estes :)

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Aparelho bye bye :)

Não sei se se lembram mas no final de 2014 eu coloquei aparelho ortodontico e fiz este post.
Agora no início de 2017 retirei! Yupi :)
E que bem que estão os meus dentes. Adorei o resultado. Melhor, adorei o tratamento, adorei a forma como tudo se desenrolou e claro adorei MESMO o resultado. Claro que tive momentos de dor que me fizeram pensar "porque raio me meti nisto". Mas isso passa.
Tive dúvidas quanto a colocá-lo mas se fosse hoje não tinha nenhumas, tinha colocado mais cedo e sem receios. Acho que é um dos melhores investimentos que se pode fazer, quando se precisa claro, quem tem uns dentinhos direitinhos e não tem problemas maiores, como má mastigação, desvios, etc, deve agradecer pois é uma sorte maravilhosa :) mas quem não teve tanta sorte e precisa de recorrer a este auxílio acho que deve avançar e não ter medos.
E há outro incentivo, quer se opte por uma solução mais dispendiosa ou uma mais barata, o resultado será sempre satisfatório porque tudo é uma questão de tempo, de reação dos dentes e da própria sorte que tudo corra como planeado. Ou seja, há soluções para todas as carteiras. Não acho que exista uma melhor que outra até porque cada pessoa é uma pessoa única e os tratamentos serão obviamente todos diferentes.

Por isso, e por mim falo, avancem em direção a um sorriso melhorado!
Força aí :)

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Beleza Colateral (conseguimos ir ao cinema!)

Pois é, o meu último post foi sobre querer ir ao cinema e lá nos esforçamos para conseguir fazê-lo este fim de semana e foi mesmo!
E foi muito bom. Ver um filme sem nenhuma interrupção ou sem ter de estar em constante alerta foi como uma lufada de ar fresco que estavamos mesmo a precisar. E por isso, obrigada aos avós que ficaram com o nosso anjinho :-)

E o filme escolhido?


Foi o Beleza Colateral com o Will Smith e muitos outros actores incríveis. Gostei muito do filme, é um drama e por esse motivo, houve choro (há temas para os quais uma recém mamã é muito sensível) mas é um bom filme, com uma boa ideia e passa uma mensagem.
Acho que, por um lado, podia ser ainda melhor, com frases de impacto maior e que nos tiram o ar, porque algumas personagens mereciam ter isso. Mereciam dizer coisas memoráveis. Mas de uma forma geral não deixa de ser muito bom. Gosto de filmes que passam uma mensagem, que nos fazem pensar quando saímos da sala do cinema e que por breves momentos pareça que o ter visto mudou alguma coisa em nós e em quem nos rodeia.
Fala de Amor, Tempo e Morte. Três variáveis tão presentes em tudo. E mais não digo para não divulgar nada para quem ainda não viu.
Aconselho muito que o vejam ;-)

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Quero ir ao cinema!

Para animar e entrar num ritmo bom queria ir ao cinema.
Mas não está a ser fácil.
Ou é o horário do filme que escolhemos ou é o shopping ou é a logística com o bebé, mas a verdade é que não está a ser nada fácil conseguirmos ir. Está bem que não estamos a tentar com persistência. Até porque de tarde é a melhor opção porque não há a questão de deitar o bebé a horas e fazer tudo normal. Mas de tarde tem de ser ao fim de semana e por incrível que pareça, o fim de semana só tem 2 dias. DOIS dias que parecem ZERO dias...não dá para nada. Muito menos para conseguir "meter" no meio uma ida ao cinema. E isso torna tudo ainda mais dificil.
Um desejo tão simples mas ao mesmo tempo tão complicado :-)

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Resoluções...

Acho bonita a ideia de fazer resoluções e gostava de ter as minhas.
Mas a vida deu voltas e de certa forma passou-me a perna para que a única resolução que eu possa fazer seja, no fundo, voltar atrás. Parece irónico mas a verdade é que voltar atrás é a melhor opção neste momento.
Voltar para quando não se discutia por tudo e por nada.
Voltar para a união a dois que existia e agora parece estar um pouco perdida.
Voltar para a família unida.
Voltar para uma vida a dois que embora alterada pela chegada de um bebé muito amado, pode ainda ser recuperada em pleno.
Voltar para as alegrias partilhadas com entusiasmo.
Voltar para as risadas e brincadeiras parvas.
Voltar para nós.
É isto. Resumindo é mesmo isto. Voltar para nós.
Este ano de 2016 foi demasiado intenso para não chegarmos ao fim completamente exaustos. Chegamos cansados demais para o fazermos de uma forma suave. Foi o ano onde a vida como a conhecíamos mudou radicalmente. As nossas prioridades, as nossas preocupações, as nossas dúvidas mudaram e instalaram-se sem as podermos processar devidamente. Disse, e continuo a dizer o mesmo, que 2016 foi um ano com saldo positivo, principalmente pela chegada do nosso bebé. E por isso tenho este ano guardado em mim com todo o carinho. Mas foi o ano mais intenso e de emoções para lá de fortes, que tivemos.
Também por isso o começo de 2017 foi atribulado. Havia demasiada coisa contida que teve de sair. Foi duro mas positivo. Chegamos onde tínhamos de chegar. Parar para perceber o que estávamos a fazer mal para agora fazer bem. Temos um ano inteiro pela frente. Temos uma vida inteira para não nos deixarmos abater novamente.
Feliz 2017 para todos, mas neste momento, um Feliz 2017 especialmente para Nós.