Avançar para o conteúdo principal

Filhos e Amigos sem filhos...será incompatível?

Esta pergunta é genuinamente honesta. Não sei se é compatível.
Os poucos amigos (e gosto de pensar bons) que temos não têm filhos. E nós tivemos. E houve um afastamento. Não sei se apenas e só provocado pela clara mudança na nossa vida ou se haverá outro motivo.
Será que a amizade nunca foi forte o suficiente?
O afastamento já existia mas nós não percebemos?
Os "amigos" gostavam mais de nós quando éramos só dois? 
Nunca fomos verdadeiramente amigos? 
Não sei. Não sei bem o que pensar disto. Às vezes prefiro não pensar. Mas quando acontece algo muito bom e esperas que os "amigos" partilhem da tua felicidade e eles nada dizem ou fazem...ficas na dúvida se de facto estará a passar-se algo.
Já estive do outro lado. Já perdi amigos que tiveram filhos. Mas achei que já os tinha perdido antes de virem os filhos e então não percebi se uma coisa estava relacionada com a outra.
Qual é a vossa experiência? Os vossos amigos afastaram-se assim que nasceu o bebé? Novos amigos surgiram? Antigos amigos voltaram?
Eu não sinto que tenha mudado muito. Sou a mesma pessoa. Tenho menos tempo? Tenho. Menos disponibilidade para patuscadas e conversas pela noite dentro? Também. Mas sou a mesma pessoa.
E esta problemática intriga-me e gostava de saber a vossa experiência com este fenómeno. Se é que é um fenómeno.
Ou então é tão normal que ninguém fala disso. Será?

Comentários

  1. Eu acho que é compatível (quero mesmo acreditar que sim) mas como a nossa disponibilidade é menos, dá a sensação que a relação arrefece. Afinal de contas já não estamos tão disponíveis por muito que queiramos acreditar que continuamos a ser as mesmas pessoas. Penso que esse afastamento vem daí: somos nós que sem querer as afastamos um pouco pois deixamos de ter tempo para tudo e os amigos por vezes não sabem lidar com isso (nem compreendem pois não têm filhos) e achando que queremos mesmo mais tempo para nós, passam também eles a dar pouco. Mas acho que com calma, uns convites, umas conversas, a amizade se mantém. :) Uma amiga teve um bebé quando eu ainda nem pensava nisso e arranjou forma de lancharmos 1x por semana, quando antes nos víamos todos os dias. Senti a falta dela nos dias em que não a via, mas gostei do gesto de termos sempre aquele tempinho para nós. Senti que a amizade ainda era importante também para ela. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha muito bonito esse gesto :) algo assim já me fazia acreditar que a amizade se mantém. Gostei mesmo dessa ideia :)

      Eliminar
    2. Sem dúvida que é de valor!!

      Eliminar
  2. Por aqui também seremos os primeiros com filhos... vamos ver como corre!!

    ResponderEliminar
  3. A amizade continua sempre, a disponibilidade é que é outra.
    Dá sempre para marcar algumas coisas por muito breves que sejam, e os amigos acabam sempre por entender.
    Até porque algum dia há-de ser a vez deles :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim também me lembro disso, que um dia será a vez deles, mas até lá a amizade parece esfriar :( o que é pena.

      Eliminar
  4. Não me parece que seja de todo incompatível. Penso que o tempo que temos disponível e mesmo a disponibilidade mental é outra. No entanto, também eu senti algum afastamento, o qual veio a ser ultrapassado quando as miúdas cresceram e passaram a socializar também.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Dos chefes que não deviam ser chefes

Hoje não estou 100% e portanto vou desabafar um pouco. Há pessoas que, por vários motivos (justos e outras vezes nem tanto), são chefes mas que não deviam ser. Não deviam ser porque simplesmente não têm capacidade para o serem. Falta-lhes uma componente muito importante que é saber gerir recursos humanos.
Estes recursos que por acaso são Humanos, como o próprio nome indica, são recursos que não podem ser utilizados todos da mesma forma, nem podem ser avaliados (palavra que estes chefes tanto adoram) todos da mesma forma e porquê? Porque as pessoas não são todas iguais. Ora isto parece óbvio mas a verdade é que há pessoas que desconhecem esta verdade que afinal não é assim tão absoluta.
Há chefes que não têm a sensibilidade de perceber o que está à sua frente, às vezes está tão à frente que enerva, e que por esse motivo erram no julgamento, na avaliação e no tratamento dessa pessoa. Acho muito mau e acho que devia ser obrigatório uma formação de vez em quando sobre como lidar com pessoas…

Melhor coisa do mundo

Quando o nosso bebé nos dá aquele abraço apertado. Quando nos dá aquele beijinho que só ele sabe dar e que é um misto de ferradela e lambidela. Quando se põe em pé pela primeira vez no berço a olhar para nós como quem diz "o próximo passo vai ser conseguir sair daqui". Quando abre aquele sorriso lindo quando nos vê chegar. Quando faz aquele sorriso malandro (também lindo) por estarmos a pegar com ele. Quando solta umas gargalhadas contagiantes por estarmos a dizer uma palavra que ele considera muito engraçada. E a lista continuava porque a melhor coisa do mundo é ver o nosso filho tão feliz. Amo-te bebé.


Bebé e a tecnologia/tv

Cada vez mais leio opiniões de várias pessoas, com e sem bebés, sobre o uso de telemóveis ou outro equipamento para sossegar os mais pequenos. E sempre que termino de ler penso a mesma coisa. Será que estas pessoas nunca ligaram o telemóvel com uma música que o bebé gosta para o acalmar? Será que estas pessoas nunca puseram o bebé a ver tv para que ele comesse melhor a sopa/refeição sem ser aos soluços ou aos berros. Será que estas pessoas nunca estiveram num restaurante a tentar comer o seu prato com o bebé ao lado aos prantos e profundamente desconsolado porque falar com ele só não o acalma? Que sorte que estas pessoas têm. Eu não tenho. Eu preciso de vez em quando recorrer a estas ajudas para conseguir que o meu bebé acalme e consiga comer. Eu prefiro que ele veja um pouco de tv do que não coma nada ou vomite o que comeu por estar sempre a chorar. Mas isso sou eu. Posso estar errada, mas prefiro mesmo. Claro que não é uma fixação no telemóvel ou na tv. É por momentos e bastante rápido. M…