quarta-feira, 19 de abril de 2017

Infantários e os critérios diferentes

Tenho percebido, agora que também eu preciso destes serviços, que os critérios de cada infantário não são todos iguais.
Não falo só das questões do que se paga (porque isso era outra discussão porque há disparidades enormes) mas falo sobretudo dos critérios em relação às doenças, contagiosas ou não, com febre ou sem febre, que os infantários têm. Ora eu ja tive de ir buscar o meu filho por ter temperatura, até aí entendo, mas também já tive de ir por outras questões "menores" que noutros infantários não chamam os pais.
Percebo que possam existir regras internas, que seja norma em algum infantário específico que se os meninos apresentam determinados sintomas não possam ficar lá, mas então e porque é que noutro lado podem?
Estarão alguns infantários mais bem preparados para dar resposta às situações que surgem?
Se assim for, este tem de passar a ser um critério a ter em conta por parte dos pais quando vão escolher um infantário. Ou seja, se no local X chamam os pais porque o filho espirrou um pouco mais alto (exagerando claro) então esse infantário fica atrás em relação ao infantário Y que liga aos pais quando o filho tem temperatura para perguntarem se podem dar benurom mas não precisam de o ir buscar a correr, pode ser ao fim da tarde ou quando puderem. Ora este último ganha de caras porque infelizmente os pais que trabalham não conseguem abandonar tudo de repente, embora às vezes apeteça porque os filhos estão em primeiro lugar. Sempre. Mas não dá. Pelo menos de repente, várias vezes por mês, não dá :(
E eu acho que este apoio aos pais, este suporte que o infantário poderia dar, não dá. Em alguns casos pelo menos não dá.
Percebo perfeitamente a questão do contágio. O meu filho já voltou para casa constipado, com gripe, com conjuntivite, com o vírus xpto...e tudo porque alguém teve primeiro. Percebo que se está doente não pode ir. Mas tem de haver critérios bem definidos.
Conheço várias pessoas que me dizem que não vivem esta realidade. Que sentem apoio por parte do infantário, que redobram a atenção aos meninos com algum sintoma, que podem acompanhá-lo à parte, mas tudo no infantário.
E estas diferenças de tratamento chateiam-me.
Eu até prefiro que o meu filho não vá, se estiver mais em baixo, em casa pelo menos não apanha mais nada. E claro, também não passa a mais ninguém.
Mas se é para fazer acrobacias no trabalho, uma ginástica incrível com toda a família para que todos consigam trabalhar/tomar conta do menino ou pagar um mês inteiro de mensalidade no infantário e o menino estar lá só meio mês, então alguma coisa não está bem.
Se calhar é o infantário. E se calhar se eles não mudam mudamos nós.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Fazer tudo em casa ou não fazer?

Tenho reparado, cada vez mais, que há dois tipos de solução para a casa.
Existem as famílias, que a maior ou menor custo, lá vão conseguindo fazer tudo em casa. E existem as famílias que já recorrem a "ajuda" exteriror há um tempo.
Falando claro das pessoas que trabalham fora de casa também (e não só em casa).
E o que quer isto dizer?
Ora bem, com fazer tudo em casa, eu quero dizer tratar da roupa, lavar e passar, a nossa e da(s) crianças(s); limpar a casa; aspirar; fazer as refeições, algumas para levar também no outro dia; arrumar a cozinha, etc.
E com ajuda exterior quero dizer ter uma empregada doméstica para limpar, tratar da roupa e em alguns casos também das refeições. Ou, pelo menos em relação à roupa, recorrer à "ajuda" de uma lavandaria para lavar e passar ou só lavar ou só passar.
E isto para mim tem sido uma preocupação. Porquê?
Porque cada vez mais sinto que não consigo fazer tudo. Ou consigo fazer tudo isto mas não faço mais nada. Ou consigo fazer parte. Ou consigo mas simplesmente não me apetece :/
E nunca tinha pensado nisto. Sempre senti que tinha tudo controlado em casa. Mas com o bebé percebi que há outras coisas que quero fazer para além de ter tudo em ordem. Quero brincar com ele. Quero estar apenas sentada a olhar para ele. Quero um dia ter um segundo filho. :)
E vejo pessoas, no meu trabalho, que são como eu e estão sempre ansiosas que chegue o fim de semana para ter um tempinho de descanso ou de puro amor com os filhos. Mas depois chega o fim de semana e um dia acaba por ser a aspirar ou a tratar de alguma coisa na casa. E a semana começa sempre com aquela sensação de que não descansamos ou fizemos nada :(
E do outro lado, tenho colegas que falam que a empregada fez isto ou aquilo, ou que passou a roupa toda e agora não têm onde arrumá-la :o quem me derá ter a roupa toda passada, se calhar também não tinha onde a arrumar, mas era sinal que estava tudo em ordem. E era bonito de ver :)
Por isso penso, agora com um filho, será que devo pensar em recorrer a esta ajuda preciosa? De vez em quando tenho uma ajuda da minha mãe, mas não gosto de saber que para me ajudar também ela perdeu o seu descanso.
E voçês como fazem? Têm este dilema ou são verdadeiras fadas do lar como eu anseio ser um dia? :)
Mas não com esta cara :D

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Prison Break voltou!

Eu não sei quanto a voçês mas a mim esta série marcou.
Não só pelo Michael Scofield, que foi só uma das personagens mais marcantes da história, um cérebro brilhante, do qual só queríamos ter uma pequena percentagem, um charme de menino ingénuo aliado a um sorriso maroto e um belo espécie masculino assim no geral :) mas também porque a própria série foi algo inovador na altura. Já se tinha visto muita coisa mas nada assim e marcou.
Agora e o regresso? É uma coisa boa? Eu quero pensar que sim. A última temporada não acabou como gostaríamos e ficou sempre um sabor amargo de ter sido interrompido algo bom (embora estivesse numa fase morna). Por isso acho bem este regresso e tem uma pitada de "eu sabia que um dia ias voltar".
Vi o episódio e gostei. Foi muito parecido com o que estávamos habituados e isso é bom. É um voltar a casa.
Tenho um odiozinho especial pelo ator que faz o irmão Lincoln, mas isso não "estraga" nada por assim dizer, só acho que ele não é bom ator. Mas quanto a isso nada a fazer.
E voçês gostam? Viam? Vão ver a nova temporada?