terça-feira, 27 de junho de 2017

Quando dizemos Chega

Não queremos que assim seja mas há sempre uma altura em que temos de dizer chega.
Não gostamos, tentamos evitar, mas quando parece ser inevitável não podemos fugir.
Até aqui tudo bem.
O problema é quando é com a família :(
Quando é com aqueles que pensamos que vamos poder contar toda a vida. Mas afinal não.
Já se notava uma certa "falsidade", um suportar sem grandes alaridos, mas notando-se que não era um convívio pacífico. Era mais um esforço controlado.
E um dia vai abaixo. Porque quando é assim tem de ir.
E isto acontece quando as pessoas só olham por si e para si.
Só a sua vida é que é complicada. Só os seus filhos é que dão trabalho. Só a sua condição de trabalhar/estudar é que é difícil. Só os seus gastos são importantes. Só o seu tempo é que é precioso. Enfim...tanta coisa que não parava de escrever se fosse a escrever tudo.
Mas o que mais me chateia no meio disto tudo?
Não é a falsidade ter acabado e as cartas estarem todas em cima da mesa. O que me chateia é eu não ter tido a hipótese de mostrar o barulho todo. Sim, porque eu também tenho vida, filho, compromissos, falta de tempo, também já trabalhei e estudei ao mesmo tempo até há bem pouco tempo. Também tenho gastos que importam. Também tenho desafios constantes a surgirem. Mas não. Não o pude dizer. E sei que ás vezes não é preciso dizer. Mas desta vez gostava de ter dito.
Mas não disse.
E aquilo que me consola, como costumo dizer, nas discussões...para os egoístas...fica muito mais presente aquilo que disseram do que aquilo que ouviram. Acham sempre que ficaram por cima (vai-se lá saber o que isso quer dizer).
Por isso, se calhar na verdade, dizer não ia fazer muita diferença.
E é melhor assim.
:(
 

2 comentários:

  1. Arrependo-me tanto do que não disse... força!

    ResponderEliminar
  2. Reconheço-me no teu texto.
    Força, coragem e vai em frente com aquilo que sentes..

    ResponderEliminar