Avançar para o conteúdo principal

Quando dizemos Chega

Não queremos que assim seja mas há sempre uma altura em que temos de dizer chega.
Não gostamos, tentamos evitar, mas quando parece ser inevitável não podemos fugir.
Até aqui tudo bem.
O problema é quando é com a família :(
Quando é com aqueles que pensamos que vamos poder contar toda a vida. Mas afinal não.
Já se notava uma certa "falsidade", um suportar sem grandes alaridos, mas notando-se que não era um convívio pacífico. Era mais um esforço controlado.
E um dia vai abaixo. Porque quando é assim tem de ir.
E isto acontece quando as pessoas só olham por si e para si.
Só a sua vida é que é complicada. Só os seus filhos é que dão trabalho. Só a sua condição de trabalhar/estudar é que é difícil. Só os seus gastos são importantes. Só o seu tempo é que é precioso. Enfim...tanta coisa que não parava de escrever se fosse a escrever tudo.
Mas o que mais me chateia no meio disto tudo?
Não é a falsidade ter acabado e as cartas estarem todas em cima da mesa. O que me chateia é eu não ter tido a hipótese de mostrar o barulho todo. Sim, porque eu também tenho vida, filho, compromissos, falta de tempo, também já trabalhei e estudei ao mesmo tempo até há bem pouco tempo. Também tenho gastos que importam. Também tenho desafios constantes a surgirem. Mas não. Não o pude dizer. E sei que ás vezes não é preciso dizer. Mas desta vez gostava de ter dito.
Mas não disse.
E aquilo que me consola, como costumo dizer, nas discussões...para os egoístas...fica muito mais presente aquilo que disseram do que aquilo que ouviram. Acham sempre que ficaram por cima (vai-se lá saber o que isso quer dizer).
Por isso, se calhar na verdade, dizer não ia fazer muita diferença.
E é melhor assim.
:(
 

Comentários

  1. Arrependo-me tanto do que não disse... força!

    ResponderEliminar
  2. Reconheço-me no teu texto.
    Força, coragem e vai em frente com aquilo que sentes..

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Clínica Privada (última temporada) :-(

Então não é que a temporada 6 da Clínica Privada que começou este mês é a última temporada?!  Fiquei triste porque esta é uma das séries que vejo religiosamente desde o primeiro episódio que deu em conjunto com a Anatomia de Grey, e agora vai acabar :( A Kate Walsh, que faz a personagem principal Dra. Addison Montgomery, anunciou a sua saída da série no final desta temporada e então a criadora Shonda Rhimes não teve outra hipótese a não ser "acabar" com a série pois sem a personagem principal esta não fazia sentido e já tinham atingido o ponto alto de criatividade neste trabalho. Não foi bem isto que ela disse mas foi isto que eu percebi e concordo porque de facto já não ia ser a mesma coisa, para mim "Clínica Privada" é sinónimo de "Dra. Addison Montgomery".

Mas, por outras razões, a Shonda Rhimes tem sido alvo de duras críticas por decidir "matar" algumas personagens pelo facto de os actores quererem abandonar as séries, segundo os críticos exist…

"He's Just Not That Into You" que filme do caraças!

O filme "He's Just Not That Into You" é um filme de 2009 mas esta imensamente atual. Eu diria até que é daqueles filmes intemporais, porque o fundo das relações continua o mesmo, os mesmos receios, dúvidas, esperanças e enganos que ainda se vivem nos dias de hoje. Ontem revi este filme e mais uma vez adorei. E até chorei! Numa das últimas cenas do Ben Affleck com a Jennifer Aniston (quem já viu sabe perfeitamente do que estou a falar :)) e quem não viu tem de ver! Chorei porque é verdadeiramente bonito, emocionante e tão aquilo que as relações devem ser, que não deu para evitar uma lagrimazita de emoção. Neste filme, como em outros do género, encontramos vários casais, cada um a atravessar uma fase diferente da relação. Temos encontros falhados, falsas esperanças, traição, novas paixões, amizade colorida ou amizade "interesseira" por assim dizer. Enfim encontra-se mesmo de tudo neste filme. Quem não conhece faça lá o favor de ver porque não se vai arrepender ;) E …

Mães trabalhadoras e Fit por aí?

Ser mãe e trabalhar não é só complicado pela parte de ter de deixar o bebé no infantário ou com os avós e desaparecer umas 8h :( também é complicado porque quando se quer fazer alguma coisa tipo...exercício físico...parece que não há nenhum tempo disponível e isso desmotiva :( Ter motivação para ir a um ginásio já é o que é, mas com esta falta de tempo, porque todo o tempo livre se quer aproveitar com o bebé, fica ainda mais difícil!! Digam-me como fazem. Que é como quem diz conselhos precisam-se :) Conseguem ir ao ginásio? Correm na rua? Vão numa hora em que o bebé ainda está no infantário? Deixam com os avós? Deixam com o pai? Fazem exercício só com os olhos? (este pratico bastante ah ah ah). As alternativas parecem muitas, mas vai-se a ver e meia dúzia delas não são fáceis de gerir. E qual é o resultado? Ser mãe trabalhadora não Fit :D